Em tempos de coronavírus, ter imunidade alta é extremamente importante. Sempre ouvimos que uma alimentação equilibrada é fundamental para a saúde e agora, mais do que nunca, ela ganha importância.

Sabe por quê? “O que você come influencia sua saúde, reflete em sua imunidade, diminui as chances de ficar doente e ajuda na recuperação mais rapidamente”, como foi escrito em 2017 no portal Saúde Brasil, do Ministério da Saúde.

De acordo com o texto, nosso sistema imunológico tem uma série de reações bioquímicas que dependem de minerais específicos, vitaminas e aminoácidos.

Se esses nutrientes não são consumidos regularmente, as células de defesa trabalham de forma ineficiente, deixando nosso corpo mais suscetível a vírus e bactérias, assim como a ter sintomas mais fortes quando somos infectados.

Se você come todos os dias o típico prato dos brasileiros – arroz, feijão, bife, batata frita, alface e tomate –, por exemplo, infelizmente sua dieta é pobre em nutrientes.O mesmo acontece com as frutas.

Mas, então, o que devemos consumir? Não existe uma única refeição perfeita que seja sinônimo de alimentação equilibrada. A primeira regra é não comer a mesma coisa todos os dias. Devemos variar o cardápio sempre.

A segunda regra é variedade no prato. Quanto mais alimentos de cores diferentes, melhor. Procure consumir verduras claras e também as escuras; e legumes nas tonalidades vermelha e laranja. As frutas também devem fazer parte do cardápio, mas tem também que variar no decorrer da semana.

Vegetal x animal

Tanto os alimentos de origem vegetal quanto os de origem animal são importantes.  Em geral, os de origem animal são mais calóricos e devem compor o prato em menor quantidade.

A recomendação do Ministério da Saúde é: “Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação”. Isso significa que a maior quantidade de alimentos no seu prato idealmente deve ser de origem vegetal, quando possível consumidos crus. Aqui há muita opção, entre verduras, legumes, tubérculos, grãos, sementes, castanhas, cereais integrais…

Como outra referência temos a Organização Mundial de Saúde, a qual indica, como ideal, pelo menos 400 gramas diariamente de verduras, legumes e frutas.

Entre tantas opções, o que priorizar quando o objetivo é reforçar a imunidade? Veja abaixo os nutrientes que não podem faltar durante a quarentena.

Fortaleça a imunidade contra o coronavírus

Carotenoides: cenoura, abóbora, brócolis, couve, tomate, frutas vermelhas.

Ferro e ácido fólico: brócolis, espinafre, couve, grão-de-bico, lentilha, ervilha, feijão.

Selênio: arroz integral, ovos, castanha do Pará e outras oleaginosas.

Vitamina A: cenoura, abóbora, couve, espinafre, agrião, ovos, peixes, frutos do mar, mamão, manga.

Vitamina B6: batata inglesa, aveia, espinafre, gérmen de trigo, levedo de cerveja, cereais, sementes, carne de porco, peixe, leite, ovos, abacate, banana, nozes.

Vitamina C:  pimentão, repolho, alho, tomate, laranja, acerola, morango, caju.

Vitamina E: cereais, azeite de oliva, gérmen de trigo, carnes, ovos, abacate, castanhas, amêndoas, nozes.

Zinco: carnes vermelhas, frango, frutos do mar, feijão, lentilha, sementes de abóbora, amêndoas, leite e derivados.

Mantenha, ainda, em sua dieta o consumo de probióticos, além de reforçar o uso de sementes e ervas no tempero dos alimentos, com destaque para alho, açafrão e gengibre, que são grandes aliados ao sistema imunológico.

O que evitar?

Ao mesmo tempo, reduza ao máximo o sal, as frituras e as gorduras. Além disso, é claro, não abuse do açúcar refinado.

E os demais alimentos processados? Estes devem ser evitados – ou consumidos só de vez em quando –, porque costumam conter muita gordura, sal e açúcar, sem contar os ingredientes químicos que dão cor, sabor e ampliam o tempo de validade.

Com uma alimentação saudável e balanceada, nosso organismo tem suas defesas fortalecidas, para nos proteger durante esta pandemia. Importante para pessoas de qualquer idade, uma boa nutrição é essencial principalmente para quem tem mais de 50 anos, quando a resposta imunológica naturalmente é mais lenta.

Adotar esse hábito alimentar agora pode ser mantido no pós-Covid-19, já que a alimentação equilibrada serve também para nos proteger de doenças cardiovasculares, da obesidade, do diabetes e por aí vai.

E para fortalecer a imunidade indo além da alimentação, separamos aqui um conteúdo que fala sobre a importância da Vitamina D e como aproveitar o Sol mesmo em períodos de quarentena.

Pronto para turbinar sua imunidade?

Fontes:

http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira.pdf

https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/alimentacao-adequada-e-saudavel-aumenta-a-imunidade-e-pode-prevenir-doencas

https://vogue.globo.com/semidade/Ageless/noticia/2020/03/alimentacao-como-aliada-da-imunidade.html

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/03/23/alimentacao-ajuda-mesmo-na-imunidade-entenda-o-que-funciona.htm