Expor o nosso corpo à luz solar não é somente saudável, como também recomendado. Devemos tomar sol, se possível, durante 10 a 20 minutos no mínimo três vezes por semana, antes das 10h da manhã. Os raios solares devem incidir sobre regiões do nosso corpo, como braços e pernas, e protetor solar pode ser passado apenas na pele do rosto, que é a mais sensível.

Sabe por quê? O Sol emite raios ultravioletas do tipo UVA, UVB e UVC. Quando o raio UVB, principalmente, incide sobre a nossa pele, ele ativa uma molécula (com uma substância chamada 7-DHC ou 7-dehidrocolesterol), presente na derme, que se transforma em vitamina D.

A população, em geral, tem sofrido de deficiência de vitamina D, a qual está associada à saúde dos ossos, podendo ocasionar problemas de memória e de capacidade de raciocínio a até quedas, depressão e câncer de cólon. Por isso, é tão indicado os banhos de sol.

Entretanto, a exposição deve ser como a recomendada. Passados os 20 minutos antes das 10h, não deixe de se proteger com um bom filtro solar, de no mínimo 30 FPS (Fator de Proteção Solar) com proteção UVA e UVB. Caso contrário, você já sabe: o risco é de queimadura solar.

O que passar em queimadura de sol?

Ficar vermelho e ardendo é a menor das preocupações, porque as loções pós-sol foram desenvolvidas para trazer alívio a esses sintomas, tal como os produtos da linha Caladryl®.

Disponível em loção, gel, aerossol e creme, o pós-sol deve ser usado após a exposição solar, com a pele limpa e seca. Caladryl® é feito com ingredientes naturais, como Aloe Vera, que age rapidamente na pele (leia mais em Pós-sol: como manter a pele bronzeada e também saudável).

O produto contém, entre seus princípios ativos, a Calamina. Trata-se de uma mistura de óxido de zinco com óxido férrico, que atua como um suave adstringente, ou seja, limpa os poros e forma uma camada que protege contra o acúmulo de impurezas. A Calamina também age no alívio das coceiras na pele provocadas por queimaduras solares por ser considerado um calmante da pele.

Com Caladryl®, você vai sentir uma sensação de frescor e vai perceber sua pele reidratada.

Classificação das queimaduras solares

Se você se queimou, fique atento para identificar em qual grau foi a queimadura solar da sua pele:

Primeiro grau: a queimadura está localizada na epiderme, a camada mais superficial da pele, deixando-a avermelhada.

Segundo grau: atinge não somente a epiderme, mas também a derme, que é a camada intermediária da pele, causando dor e podendo ainda apresentar inchaço e bolhas superficiais.

Terceiro grau: os raios UV atingem a hipoderme, a camada mais profunda da pele, formando bolhas; quando elas se rompem a região fica propícia para apresentar infecção por bactérias.

Além disso, as queimaduras também podem causar desidratação, e a pessoa pode até entrar em choque.

Com o passar dos anos, quem se expõe ao sol com frequência e sem as devidas proteções acaba tendo envelhecimento precoce da pele (chamado fotoenvelhecimento), com o surgimento de rugas e manchas, além de a pele perder a elasticidade e ficar com aparência ressecada.

O risco mais grave, no entanto, é de desenvolver câncer de pele. No caso de aparecer manchas, sinais ou feridas que não cicatrizam, procure imediatamente um médico.

Lembre-se sempre: Use protetor solar diariamente, mesmo nos dias nublados, e reforce a proteção quando se expor ao sol, além dos 20 minutos para ativar a vitamina D. Cuide de sua pele antes, durante e depois do bronzeado para mantê-la linda, jovem e saudável por mais tempo.