No Verão, ficamos mais dispostos e animados a diferentes atividades ao ar livre. Vamos mais à praia, à piscina e aos parques, fazemos caminhadas, jogamos bola ou simplesmente nos sentamos embaixo do guarda-sol ou de uma árvore para bater papo ou ler um livro… Tudo é propício: o calor, a brisa, o visual, ainda mais num país tropical com todo tipo de beleza natural, como o Brasil.

O que mais queremos depois de um dia maravilhoso assim, é chegar em casa feliz, com corpo e mente relaxados e nos sentindo revigorados, certo? Entretanto, algumas vezes o dia não termina desse jeito. Quem nunca chegou ao final de um dia de Verão com o corpo ardendo, todo vermelho e, às vezes, até com dor de cabeça?

O motivo: não tivemos os cuidados necessários com a nossa pele. Nessa época do ano, pela inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol, os raios solares incidem aqui num ângulo quase perpendicular e, dessa forma, a energia emitida fica mais concentrada, portanto, mais quente.

Deixando a ciência à parte, todos nós sabemos que o risco de nos queimarmos no Verão é muito maior do que em outras estações. Se dermatologistas e esteticistas recomendam o uso diário do protetor solar durante o ano todo, esse produto tem papel ainda mais importante nos dias mais quentes do Verão.

11 dicas para quem quer se bronzear com segurança

Não há dúvidas que o protetor ou filtro solar é o maior aliado contra a queimadura. Porém, não devemos abrir mão de outros aparatos e alguns hábitos para nos proteger. São eles:

1)    Protetor solar, que deve ter, no mínimo, 30 FPS (fator de proteção solar) com proteção contra os raios ultravioletas do tipo A e do tipo B (UVA e UVB). Se sua pele é clara e sensível, escolha um produto com FPS maior. O protetor deve ser aplicado meia hora antes da exposição ao sol e reaplicado a cada duas horas, e também sempre depois de cada “entrada” no mar ou na piscina.

2)    Chapéu ou boné devem ser usados quando estamos debaixo dos raios solares. Eles protegem os fios de cabelo e o couro cabeludo, além da pele do rosto. Melhor ainda se for um chapéu de abas largas, que vai ajudar a proteger orelhas, toda a face e o pescoço.

3)    Roupas, como camiseta, vestido, canga ou saída de banho, é uma boa alternativa para quem não quer se bronzear, mas estas devem ser de algodão. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), roupa de algodão bloqueia a maior parte da radiação ultravioleta (UV), enquanto os sintéticos, como nylon, bloqueiam somente cerca de 30%.

4)    Óculos de sol protegem os olhos, evitando catarata e outras lesões à longo prazo.

5)    Barracas e guarda-sóis devem idealmente ser de algodão ou lona, mais efetivos na absorção dos raios UV.

6)    O horário de exposição ao sol deve ser no início da manhã e no final da tarde, períodos mais amenos e saudáveis para a exposição ao sol. A recomendação da SBD é evitar o horário de 10h às 16h (no horário de Verão), reduzindo assim os riscos de queimaduras solares e outros problemas para a pele, inclusive o temido câncer de pele.

7)    O banho depois da exposição ao sol, idealmente, deve ser frio ou levemente morno, para evitar o ressecamento da pele, assim como dar a sensação de frescor.

8)    Loção Hidratante, depois de se secar do banho tomado, vai melhorar a aparência da pele, evitando o ressecamento, e ajuda a segurar o bronzeado por mais tempo. Usar hidratante é bom em qualquer época do ano, inclusive no Inverno, para manter a pele macia.

9) Pós-sol é o produto que deverá ser usado no caso de queimaduras solares leves. Se chegou do passeio e a pele está vermelha e ardendo, o pós-sol vai promover frescor imediato, ajudando a pele a ficar hidratada e a se recuperar da queimadura mais rapidamente.

10) A alimentação durante o período em que vamos nos expor ao sol deve ser leve e equilibrada. Alguns alimentos até ajudam no bronzeamento, como a cenoura, por exemplo. Deve-se também aumentar a ingestão de líquidos, principalmente enquanto estamos sob o sol, para evitar a desidratação.

Além dessas, a Sociedade Brasileiro de Dermatologia (SDB) dá ainda outras dicas, como usar fluidos siliconados nas pontas dos fios de cabelos para não ressecarem, e fitas adesivas (de curativo) ou uma camada mais grossa de filtro solar sobre as cicatrizes para não ficarem escuras.

A SDB destaca ainda a necessidade de proteção especial às crianças, que devem a partir dos seis meses de idade usar filtro solar específico para pele mais sensível – converse com o pediatra sobre o produto mais indicado. Já as pessoas de pele negra, segundo a SBD, também precisam de proteção, pois estão sujeitas às mesmas complicações das demais cores de pele.

São muitas dicas, e deixamos mais uma final para você: Não queira um bronzeado de um dia para o outro. Vá, aos poucos, aumentando a exposição ao sol, dia após dia, evitando o horário prejudicial, das 10h às 16h. Assim, se você conseguir seguir a maioria das dicas, não só vai evitar a queimadura e outros problemas de pele, como voltará para casa com um bronzeado fantástico!